Etiene Medeiros faz índice nos 50m costas, é a primeira do mundo e diz: “Estou de volta”

Hoje ela detém o primeiro tempo do mundo ao lado de Katinka Hosszú. A nadadora baixou 0.77 do tempo da eliminatória da manhã, que foi de 26s72 e ainda conquistou o recorde do campeonato, baixando a própria marca que era de 2016.

 

São Paulo, 26 de agosto de 2018 – Etiene Medeiros definitivamente está de volta. Sete meses após cirurgia no ombro direito para a retirada de um cisto sinovial, a atleta do SESI-SP fez, neste terceiro dia de Troféu José Finkel, disputado no Esporte Clube Pinheiros, o índice para o Mundial de Hangzhou na China nos 50m costas com o tempo de 25s95. Com esse tempo, ela também é a primeira do mundo ao lado de Katinka Hosszú e também é recorde de campeonato.

“Esse tempo representa que estou de volta. É muito confortante estar nadando perto do seu melhor. Fiquei muito feliz em ter feito o índice. Eu gosto disso aqui, dessa adrenalina, dessa emoção, gosto de arquibancada. Fiquei muito feliz em ver a arquibancada muito cheia. Quando eu fui nadar, todo mundo estava aí. É muito importante estar de volta, ter conseguido o índice. Vou nadar amanhã os 100m costas e na terça-feira o 50m livre sem pressão, mais tranquila. Estou muito feliz e espero relaxar para dar continuidade à competição”, comemorou.

Após a prova, Etiene saiu da água e foi direto dar um abraço emocionado em seu técnico, Fernando Vanzella. A emoção dos dois fez com que a torcida vibrasse mais uma vez. O treinador – que está com ela no SESI-SP desde 2013 – não escondeu os olhos marejados e a certeza de que tudo o que foi feito na recuperação até aqui valeu a pena.

“Foi o dia certo. Achamos que com qualquer tempo na casa dos 25s estaria bom, pois ela poderia entraria em um tempo a nível internacional, para ser competitiva e voltar a disputar medalhas. Ela tirou muita coisa de dentro do coração. Ela estava angustiada por ter passado pela cirurgia e agora ela vem aqui e consegue retomar o estágio que a credencia para fazer um trabalho legal para o mundial e, se tudo der certo, disputar mais uma vez esse título”, analisou o treinador.

Para Vanzella, o fundamental nesse processo foi ela não ter deixado de acreditar nela. “E esse foi o desafio da recuperação, dar suporte a ela para que ela chegasse aqui bem. No Maria Lenk ela não nadou, por que ela estava em um estágio ainda que não era a hora, começamos essa retomada de competição no Paulista, sem muita pressão, depois fomos para a Europa e lá ela teve um bom resultado e essa reta final conseguimos chegar a esse resultado, a parte psicológica foi primordial nesse momento”, acrescentou.

O lado psicológico passou também pela nadadora ter que se desafiar dia após dia. “Quando estamos no bloco, antes do apito, é 90% cabeça. Ali no bloco eu tenho que esquecer que passei pela cirurgia, que ainda posso ter dor, que minha família está na arquibancada e me concentrar. O processo realmente era esse, de tirar âncoras e saber como eu estava no pós-cirúrgico e definitivamente estou bem, mas não tenho mais quinze anos (risos) tenho vinte e sete. A recuperação é mais lenta, tenho que rever sempre tudo. Estou muito feliz, isso que importa. O processo está sendo feito, muito feliz em estar de volta”, finalizou.

PROVAS TROFÉU JOSÉ FINKEL 2018

Sexta (24.08) – revezamento 4×100 livre I (2º lugar com o SESI-SP 3’37”06s)

Sábado (25.08) – apenas treino, sem atendimento à imprensa

Domingo (26.08) – 50m costas I Eliminatória: 26s72 e Final: 25s95

Segunda (27.08) – 100m costas

Terça (28.08) – 50m livre e revezamento 4×100 medley

TRANSMISSÃO DAS FINAIS À PARTIR DAS 17H30

A transmissão estará disponível na home page da CBDA: www.cbda.org.br

Eu sou um bloco de texto. Clique no botão Editar (Lápis) para alterar o conteúdo deste elemento.